Mano classifica jogo contra Democrata como mais difícil para o Cruzeiro e comenta atuações


O técnico Mano Menezes considerou o jogo contra o Democrata, em Governador Valadares, como o mais difícil para o Cruzeiro no Campeonato Mineiro. Ele atribuiu os percalços ao gramado do estádio José Mammoud Abbas e ao próprio poder de superação do adversário. Apesar disso, a Raposa ganhou por 2 a 0, gols de Mancuello e Marcelo Hermes, e manteve a liderança isolada do Estadual, agora com 13 pontos.
 
“Achei que foi o jogo mais difícil que nós jogamos no campeonato. O Fábio fez três grandes defesas, defesas de situação de gol. Um pouco tem a ver com a dificuldade que tivemos para jogar dentro nível de qualidade de jogo com o qual estamos acostumados. O gramado realmente dificulta bastante. Aí você erra um pouco mais que o normal. Mas iniciamos bem a partida, criamos várias oportunidades pelo lado esquerdo, poderíamos ter feito uma margem mais segura com um jogo de mais qualidade. Não fizemos, e o jogo ficou aberto durante boa parte do segundo tempo, até o Marcelo Hermes fazer o gol. Isso nos deu tranquilidade. Temos que passar por isso, você sabe. O Democrata fez um bom jogo, um jogo de movimentação e superação. E nós fazemos o que tivemos que fazer, que era vencer e manter a liderança do campeonato”, observou o comandante, em entrevista coletiva depois da partida.
 
Nesta sexta-feira, o Cruzeiro teve mais posse de bola que o Democrata (60% a 40%, segundo o Footstats), porém finalizou menos: 10 a 15. Somente o goleiro Fábio foi responsável por cinco boas intervenções ao longo dos 90 minutos do confronto. A atuação do camisa 1 segurou o ímpeto da Pantera e contribuiu para a manutenção da invencibilidade celeste no Estadual.
 
Mano Menezes também avaliou a estreia de Marcelo Hermes e o primeiro jogo de Mancuello como titular. Enquanto o meia argentino balançou a rede em chute de fora da área na parte inicial, o lateral-esquerdo marcou o segundo gol em bela jogada individual na etapa final.
 
“O Marcelo, como uma reposição normal para Egídio, fez um grande jogo, foi seguro e foi feliz na marcação de um gol, o que é raro para os laterais, mas traz uma confiança maior. E a questão do Mancuello dá à equipe uma maneira diferente de armar o meio-campo. Da primeira vez fizemos assim. Depois vamos ver com um volante do lado de lá, o direito. Sei que se jogar com um volante do lado direito, dou a ele (Mancuello) mais liberdade para chegar perto da área e chutar. É um jogador de qualidade, de bom passe, bons lançamentos, fez um lançamento primoroso no qual o Fred passou um pouquinho da linha, podia ter feito o gol. São assim que os jogadores vão ganhando o ritmo e justificando o porquê de estar no elenco”.


+Voltar